segunda-feira
29 de Maio de 2017 - 23:38
Subscrever feed Add to Google Subscrever num leitor de feeds
 
Destaque
A grande festa dos livros aos quadradinhos
 
Destaque
Só os “lobos” sobem o rio até Mértola
 
AGENDA
“Cores do chá” em exposição no IPBeja
semana
 
Encontrado corpo de menino desaparecido em São Torpes++
 
Presidente do Tarrafal em Moura ++
 
Pedro do Carmo questiona Governo sobre energias renováveis++
 
Lince ibérico solto em Mértola++
 
CDU visita obra autárquica nas freguesias de Beja++
 
Três detidos por tráfico de droga em Zambujeira do Mar++
 
Aljustrel recebe encontro nacional de universidades seniores++
 
Serpa também quer “escola ativa”++
 
Apresentados candidatos às Autárquicas ++
 
Santiagro encerra com Matias Damásio++
 
Ateliês de verão em Moura++
 
Centro de Paralisia de Beja inaugura parque infantil adaptado++
 
 
 
 
 
 
23-05-2017 9:18:28
 
É tão difícil elogiar. Perante o êxito vemos tantas pessoas inertes, sibilinas, incapazes de dizerem uma palavra doce, de sorrirem com os olhos, incapazes de um aconchego. Nem vale a pena falar de um abraço, essa seria uma cedência trágica, um esforço demasiado grande para braços inertes, para almas baças e pequeninas. São baças e pequeninas as almas que não sabem elogiar, é escura a parte de dentro dos seus olhos, maldosos os seus pensamentos, desgraçados   ler  ++  
 

 
17-05-2017 9:27:14
 
Fátima é um lugar demasiado longe dentro de mim para que eu lá possa chegar, a pé ou de outra maneira qualquer, dizia o homem na esplanada. Não só não é perto, como eu não faço a menor ideia de como se vai lá ter. Em tempos, era eu novo e complacente, ainda me quiseram ensinar que a fé é o caminho que nos leva lá, a Fátima e ao céu, que é como quem diz,   ler  ++  
 

 
10-05-2017 9:30:05
 
Se as palavras escrita são ruins, unhas levantando a pústula, entrando como sanguessugas dentro da carne do pensamento, as palavras ditas ainda são piores, vão mais fundo, são bichos de sal abrindo feridas e destapando completamente a dor. Se as palavras que se escrevem são vis, as que se dizem na cara são ainda mais cruéis porque ficam cravadas no corpo constrangido das pessoas. Mas às vezes é preciso soltar palavras como se solta a água   ler  ++  
 

 
02-05-2017 9:19:25
 
De ti, do teu sangue e da cor dos teus olhos, só quero os filhos, tudo o resto não me faz falta nenhuma. Encontrámo-nos um ao outro por acaso, andávamo-nos nós, cada um por si, de filme em filme, de livro em livro, de amigo em amigo, à procura de amor e de ternura. Eram parcos o amor e a ternura, isso disseste-me tu, isso disse-te eu, talvez pelos nossos feitios, dissemos nós. O tempo e   ler  ++  
 

 
18-04-2017 9:21:38
 
A tarde começa a enfraquecer o sol e eu caminho com os meus pés e os meus sentidos. À minha volta o verde arde nas ervas, nas searas, nas estevas, nas árvores, os campos todos estão em ala e eu passo a mão por uma labareda de hortelã-da-ribeira. Escondidos neste mar de fogo imaturo, os grilos dizem-me o mesmo que me diziam há quarenta anos, o tempo parece que não passa pelos grilos, mas há quarenta   ler  ++  
 

 
11-04-2017 9:15:17
 
A laranjeira do meu quintal é muito velha, foi o meu avô que a espetou na terra no mesmo dia em que a minha avó pariu o meu pai. E se somarmos o tamanho da vida e o tamanho da morte do meu pai, a laranjeira faz agora oitenta anos. A laranjeira do meu quintal é mais velha do que a minha memória. Não há grande diferença entre as duas, ambas têm raízes no meu quintal,   ler  ++  
 

 
04-04-2017 9:50:57
 
 

 
28-03-2017 9:21:09
 
 

 
23-03-2017 15:40:25
 
 
 
 
 
  • http://www.yakademia.com http://www.artblows.com http://www.sensepam.com/ http://www.footneuf.com/ http://www.bestsextv.com http://www.nyctrio.com/ http://www.sexboxvideo.com/ http://www.sibura.com