terça-feira
25 de Abril de 2017 - 13:33
Subscrever feed Add to Google Subscrever num leitor de feeds
 
Destaque
Conceição Margalha: “Temos de ir buscar a Évora aquilo que não temos cá”
 
Destaque
AeroNeo inicia obras no aeroporto até final de maio
 
AGENDA
“Alentejo: afetos e olhares da arte” na Pousada de Beja
semana
 
Libertadas em Grândola aves selvagens que foram recuperadas++
 
Câmara de Moura apoia clubes desportivos++
 
Mértola aprova Plano Operacional da floresta++
 
Câmara e a Associação de Defesa do Património apresentam iniciativa Florir Beja++
 
Mostra gastronómica em Grândola ++
 
Vila Nova de S. Bento, em Serpa, inaugura pavilhão desportivo++
 
Feira do Livro de Cuba até sábado++
 
Núcleo museológico de Aivados, em castro Verde, ganha sala de exposições++
 
Risco “muito elevado” de incêndio no distrito de Beja++
 
Biblioteca de castro Verde comemora 22.º aniversário++
 
 
 
 
 
Sonho de Natal
 
21-12-2012 10:24:01
  A     A     A  
 
António Machado

Ao sair de casa um dia
Fiquei deveras espantado
Achei o mundo mudado
Quase nada conhecia
Vi em todos alegria
Em toda a parte beleza
Não vi em ninguém tristeza
Vi amor em qualquer rosto
Tudo feliz bem disposto
Com paz, saúde e franqueza


Ficou em mim a certeza
De estar num mundo diferente
Com bem estar para toda a gente
Não vi que houvesse pobreza
Havia amor e nobreza
Lealdade e compreensão
Toda a gente a dar a mão
Sem nada querer receber
Fiquei contente em saber
Que havia grande união


Vi crianças ir para a escola
Vi crianças a brincar
Vi homens a trabalhar
Não vi gente a pedir esmola
Olhei nas flores a corola
Não ouvi ninguém chorar
Só senti felicidade
Cantei e ti com vontade
De toda a gente abraçar


Ouvi a todos dizer
Que tinha acabado a guerra
Em toda a parte da terra
Jamais ia acontecer
Para sempre iria haver
Paz, alegria e amor
Sem haver pranto nem dor
Toda a gente se estimava
Já ninguém mais se odiava
Toda a vida era um primor


As armas para matar
Tinham sido destruídas
Só seriam construídas
Armas para trabalhar
A riqueza ia aumentar
A ninguém faltava o pão
Que grande consolação
Ter o mundo tal mudança
A nossa infinita esperança
Hoje era satisfação


Não havia mais maldade
Nem ambições desmedidas
Havia em todas as vidas
Honra, carinho e bondade
Que imensa felicidade
O presente hoje nos dava
Toda a gente se adorava
O passado ia esquecendo
Novo rumo ia correndo 
Neste vida que alegrava


Deu-me um baque o coração
Acordei em sobressalto
Um mundo belo e tão alto
Era uma pura ilusão
Quase perdi a razão
Ao ver o mundo real
Onde existe tanto mal
Onde nem tudo é risonho
Foi pena ser só um sonho
Lindo sonho de Natal.

 
 
 
 
  • http://www.yakademia.com http://www.artblows.com http://www.sensepam.com/ http://www.footneuf.com/ http://www.bestsextv.com http://www.nyctrio.com/ http://www.sexboxvideo.com/ http://www.sibura.com