quinta-feira
17 de Agosto de 2017 - 02:47
Subscrever feed Add to Google Subscrever num leitor de feeds
 
Destaque
Um tema de sempre a que a situação atual de seca extrema veio dar mais visibilidade. A falta de
 
Destaque
Superintendente Raul Glória Dias, comandante distrital da PSP de Beja, diz que policiamento de bairro “vai avançar em todos os bairros da cidade”
 
AGENDA
Cidade de Beja homenageia Santa Maria
semana
 
Bombeiros de Beja em Abrantes e Grândola ++
 
Vidigueira assinala Dia Internacional da Juventude++
 
Beja apoia incêndio em Abrantes++
 
Detida por tráfico de estupefacientes em Saboia ++
 
“Gestos ancestrais. Objetos de ontem e de hoje em exposição em Mombeja ++
 
Semana Cultural Carpe Diem chega ao fim no Sábado ++
 
Figueira dos Cavaleiros recebe Feira do Melão ++
 
Espetáculo solidário com António Zambujo em Mombeja++
 
Corrida de touros homenageia Manuel Almodôvar++
 
Piscinas descobertas de Mértola reabrem na sexta-feira++
 
Bombeiros de castro feridos em acidente de viação++
 
Ricardo e Henrique e Rebeca animam Festas de Quintos ++
 
 
 
 
 
Benvinda
 
21-12-2012 10:15:51
  A     A     A  
 

Paulo Barriga

Estas linhas foram escritas na quarta-feira. Há uma probabilidade muito remota, quase tão remota como a profecia que alerta para que hoje mesmo o mundo acabe, que elas fiquem apenas para mim. Pelo sim e pelo não, penso regá-las amanhã, quinta-feira, as palavras, com um tintol abaladiço. Pois quem nos pode afiançar, ao certo, se hoje cá estaremos. Como parece que estamos. E já que cá estamos, como é provável que estejamos, gostaria de vos anunciar oficialmente o fim do mundo. Não como a civilização Maia o vaticinou há quatro ou cinco mil anos atrás, mas como os nossos olhos o veem abalar a cada dia que passa. O mundo, o planeta Terra, é velho que se farta. E envelhece que se farta. Todos os dias. Como todos nós envelhecemos que nos fartamos desde o exato momento em que nascemos. As coisas, o mundo também é coisa e os homens também são coisas, envelhecem. É esse o mistério da vida, dirão em Roma. É esse o desespero da existência, diriam os velhos alquimistas. É essa a verdadeira fome de viver, dirá em rima qualquer poeta mediano. O mundo poderá estar prestes a acabar. Talvez esteja. Mas antes que acabe, acabemos nós, dentro das nossas possibilidades, à nossa ínfima escala, com o que está a acabar com ele, com o mundo. E este é o voto de Natal, sincero e sentido, que o “Diário do Alentejo”, toda a sua equipa, deseja aos seus leitores, aos seus assinantes, aos seus anunciantes, aos seus amigos. A todos os que nos leem e que não leem. Ao próprio mundo. Pois cada instante que restar, ao mundo e a nós próprios, será irrepetível. Estupendamente irrepetível. Admiravelmente irrepetível. Acho que é isto que querem dizer as pessoas que gostam de afirmar que o Natal deveria ser todos os dias. O Natal, visto assim de esguelha, sem negócio nem peru, é todos os dias. Apenas não nos damos conta dele, sempre um nadinha mais velhos que vamos estando ou ficando. Na quarta- -feira escrevi estas linhas como se fossem as últimas. Na terça, a minha filha mais nova ficou mais velha dois anos desde que começou a gostar de respirar a atmosfera. Ontem, que foi quinta, acho que reguei estas palavras com um belo tintol. Hoje, que o mundo acaba, estou mesmo contente por estarmos, eu e você, a ler estas palavras em conjunto. É assim o Natal, todos os dias, até ao último dia. Dedico esta crónica e este Natal por inteiro a Benvinda Paulino. Que soube partilhar cada instante da sua vida como se fosse o último. Como se fosse único. E irrepetível.


 
 
 
 
  • http://www.yakademia.com http://www.artblows.com http://www.sensepam.com/ http://www.footneuf.com/ http://www.bestsextv.com http://www.nyctrio.com/ http://www.sexboxvideo.com/ http://www.sibura.com