sábado
16 de Dezembro de 2017 - 20:52
Subscrever feed Add to Google Subscrever num leitor de feeds
 
Destaque
Bonecos de Estremoz são património da Unesco
 
Destaque
Jorge Freitas Branco: estudioso das culturas populares contemporâneas
 
AGENDA
Conservatório Regional do Baixo Alentejo celebra 20 anos
semana
 
Almoço de Natal para idosos e pensionistas de Aljustrel ++
 
Uma tonelada de azeitona apreendida em Baleizão ++
 
Projetos Volta de Apoio ao Emprego apresentados em Beja++
 
ACOS e Cebal finalistas de prémio do Crédito Agrícola++
 
castro Verde promove venda de natal com produtos a preços acessíveis++
 
Feira do Sótão e Artesanato em Serpa++
 
Trabalhadores da Somincor marcam terceira greve do ano++
 
Mértola aprova Plano Municipal Defesa da Floresta Contra Incêndios++
 
Conselho consultivo de Vidigueira++
 
Vidigueira promove atividades nas férias de Natal++
 
Ceia Solidária da Cruz Vermelha++
 
“Cantes de Natal do Alentejo” na Basílica de castro Verde++
 
 
 
 
 
Santiago do Cacém constrói presépio tradicional
 
07-12-2017 11:10:25
  A     A     A  
 

A arte do presépio tradicional português “está a definhar e corre o risco de se extinguir a breve trecho”, alertou o Centro Unesco de Arquitetura e Arte (Ucart), com sede em Santiago do Cacém. Neste sentido, a população de Santiago do Cacém construiu um presépio tradicional português que está em exposição desde ontem, quinta-feira, no antigo quartel de bombeiros.


O presépio foi construído sob a orientação do arquiteto Ricardo Pereira, da conservadora-restauradora Sara Fonseca e da pintora Raquel Ventura, com o apoio de 40 pessoas, entre adultos e crianças, uma equipa que incluiu o escultor Vasco Tavares da Silva e o mestre serralheiro Gonçalo Cavalinhos.
O presépio é composto por “centenas de figuras todas com mais de 50 anos, feitas em materiais tradicionais, e emprestadas pelas famílias da região”, tendo-se utilizado na montagem cortiça, troncos, bolotas e ervas aromáticas autóctones, assim como produtos fabricados no concelho, designadamente o papel colorido, segundo adianta, em comunicado, o Ucart.
“À semelhança de outros tempos, o presépio foi ganhando corpo pouco a pouco, permitindo explicar não só como o montavam os nossos antepassados, mas também o que simboliza cada um dos seus elementos. Uma ‘escola informal’, fervilhante, da arte ‘presepística’, em que se transmitem, de geração para geração, os segredos de como se faz uma gruta, se monta uma cascata ou se dispõe a cavalgada dos Reis Magos”, refere a mesma nota.
“Este é um presépio comunitário que recupera velhas práticas”, sublinhou à Lusa Sara Fonseca.
Para o historiador de arte José António Falcão, responsável pelo Ucart, “quem estuda o fenómeno da descaracterização dos presépios, o problema não reside, como se chegou a temer, há alguns anos, na concorrência do Pai Natal ou das árvores cheias de bolas coloridas e flocos artificiais de neve que fazem parte do imaginário mais recente da quadra. O que tem vindo a suceder realmente, nas últimas décadas, é uma perda acentuada dos traços distintivos dos nossos presépios”.
 
 
 
 
  • http://www.yakademia.com http://www.artblows.com http://www.sensepam.com/ http://www.footneuf.com/ http://www.bestsextv.com http://www.nyctrio.com/ http://www.sexboxvideo.com/ http://www.sibura.com