sábado
18 de Novembro de 2017 - 09:56
Subscrever feed Add to Google Subscrever num leitor de feeds
 
Destaque
Luís Santana: Administrador da Cofina tem o Baixo Alentejo no coração
 
Destaque
Apesar da seca qualidade da água ainda não preocupa
 
AGENDA
Especialistas debatem viola campaniça, cante ao baldão e despique
semana
 
PCP questiona Governo sobre obras nas escolas de castro e Serpa++
 
Falta de médicos especialistas preocupa PSD++
 
Comoiprel com nova direção ++
 
Marinha faz levantamento hidrográfico no Guadiana++
 
Beja participa no 2.º Encontro Ibérico de Leitores de Saramago++
 
Nomeações no IPBeja++
 
Noite de Fados da Santa Casa da Misericórdia de Beja ++
 
Quarta Noite Colorida da Cercibeja++
 
Centenário da Revolução de Outubro em exposição++
 
Centro de apoio ao imigrante em Serpa ++
 
Câmara de castro aprova redução da Taxa de Participação do IRS++
 
Cortiçol tem novos órgãos sociais para o biénio 2017-2018 ++
 
 
 
 
 
Autoridade Marítima alerta para cuidados com caravelas-portuguesas
 
07-09-2017 11:26:23
  A     A     A  
 

Depois de na passada semana, uma criança ter ficado ferida na sequência de um contacto com uma caravela-portuguesa, numa praia de Sines, a Autoridade Marítima, tem vindo a sensibilizar a comunidade balnear sobre os cuidados a ter nas praias e zonas do Domínio Público Marítimo, no que se refere aos cuidados a ter com as águas-vivas (também conhecidas como medusas ou alforrecas) e caravelas-portuguesas, indicando como proceder em caso de avistamento e/ou contacto com estes animais. ​De acordo com a Autoridade Marítima “estes animais têm tentáculos que podem libertar um líquido, potencialmente urticante e perigoso. Este veneno serve para paralisar pequenos animais, dos quais se alimentam, ou como mecanismo de defesa.
O contacto com uma água-viva pode produzir irritação na pele e até queimaduras ou outras reações graves e prejudiciais”. Já a caravela-portuguesa “vive na superfície do mar graças ao seu flutuador cilíndrico, azul-arroxeado, cheio de gás. Os seus tentáculos podem atingir 30 metros e o seu veneno é muito perigoso. Quando o banhista avistar este tipo de animal deve afastar-se, evitando o contacto. Se sentir uma picada, deve sair rapidamente da água, dirigindo-se de imediato ao nadador-salvador.
 
 
 
 
  • http://www.yakademia.com http://www.artblows.com http://www.sensepam.com/ http://www.footneuf.com/ http://www.bestsextv.com http://www.nyctrio.com/ http://www.sexboxvideo.com/ http://www.sibura.com