terça-feira
25 de Julho de 2017 - 21:55
Subscrever feed Add to Google Subscrever num leitor de feeds
 
Destaque
As alterações climáticas provocadas pelas atividades humanas estão a matar a floresta de sobro e de azinho
 
Destaque
Saíram do País rural para África para defender a nação. No regresso não traziam só saudades. Com eles vinha “uma coisa” que só descobriram muitos anos depois: stresse pós-traumático
 
AGENDA
Museu da Ruralidade celebra seis anos
semana
 
Alqueva adota medidas contra a seca ++
 
ACT promove seminário em Beja ++
 
Festa de Santa Maria na Amareleja ++
 
Sines recebe ação contra prospeção e exploração de petróleo e gás++
 
Morreu Guilhermino Ramos ++
 
Um morto em despiste em Aljustrel++
 
Obras na praça da República em Beja ++
 
União de freguesias de Moura e Santo Amador oferece livros de fichas++
 
Intervenção Precoce na Infância em Moura++
 
EMAS promove ações para os centros de atividades de tempos livres ++
 
Feira anual de setembro, em Moura, realiza-se entre os dias 8 e 10 ++
 
Aldeia de São Domingos recuperada ++
 
 
 
 
 
Voz do povo Qual a causa da violência no futebol? (Um árbitro foi agredido violentamente por um jogador do Canelas)
 
07-04-2017 10:02:08
  A     A     A  
 




Manuel Caetano
72 anos, aposentado da função pública
A violência no futebol começou nos hooligans ingleses. Depois propagou-se a toda a Europa. Os clubes não deveriam financiar as claques. A maior parte delas é violenta. Os dirigentes também têm culpa. Eu ouvi dizer, há uns tempos, ao antigo treinador do Canelas, que quem não gosta de um desporto com agressividade que vá para a natação. Um incentivo à violência.




Fernanda Amaro
54 anos, educadora de infância
O futebol deixou de ser um desporto para ser uma atividade empresarial, em que os clubes se preocupam exclusivamente com o resultado. As declarações de alguns dirigentes promovem o comportamento violento. Têm por isso responsabilidade na maneira como determinados adeptos se comportam. Falo de futebol, porque a violência que aí ocorre não se observa noutras modalidades.


Pedro Martins
21 anos, estudante e árbitro
Sou árbitro de futebol. Existe uma cultura, transmitida de pais para filhos, que diz que a entidade feia, má do futebol, é o árbitro. Sinto isso na pele todos os fins de semana. Os valores do futebol, o respeito, a camaradagem, o fair play, estão a ser desvirtuados. Os dirigentes e treinadores dos principais clubes deveriam pacificar o futebol, não incendiá-lo.


João Maximino
31 anos, professor de natação
Em termos gerais, o importante é ganhar. Independentemente da ética, de valores fundamentais. O futebol transformou-se num mundo violento que existe nos mais diferentes escalões. Dos mais novos aos mais velhos. Deixou de haver respeito pelo adversário. O que aconteceu no passado fim de semana, e que tem sobretudo a ver com falta de educação, deveria ter consequências.

 
 
 
 
  • http://www.yakademia.com http://www.artblows.com http://www.sensepam.com/ http://www.footneuf.com/ http://www.bestsextv.com http://www.nyctrio.com/ http://www.sexboxvideo.com/ http://www.sibura.com